Como preparar seu escritório para 2020

A evolução é uma constante. Assim como acontece na moda e na tecnologia, o avanço também acontece na decoração de ambientes, sejam eles voltados para escritórios ou não.

Não se trata apenas de um design diferente de mesas ou cadeiras que ocupam seu ambiente corporativo, mas envolve também o modo em que eles estão organizados.

Como vimos em artigos do nosso blog, uma boa organização e estruturação dos móveis pode ter um papel crucial em termos de produtividade, além de elevar o moral da equipe.

É conveniente criar espaços de trabalho que criem uma boa sensação, que as pessoas se sintam à vontade e que passe a mensagem de bem-estar, onde todos podem colaborar.

No novo ano que se aproxima, que tal realizar um upgrade em seu escritório para que sua empresa vista a camisa de uma nova geração que está transformando a realidade do trabalho?

Aqui neste artigo, você verá algumas características essenciais de um escritório que é montado pensando em produtividade aliada ao bem-estar. 

O que esperar deste artigo?

 

  • Construindo um espaço para a nova geração de colaboradores: os Millennials;
  • Trabalho e Saúde: como promover os exercícios no espaço de trabalho?;
  • Respeitando limites e pessoas: criando um ambiente bom para todos;
  • Não deixe o escritório te machucar: escolhendo os melhores móveis;
  • Conclusão.

 

Boa leitura para você!

 

Construindo um espaço para a nova geração de colaboradores: os Millennials

Uma vez que os millennials vem tomando conta dos espaços de trabalho, e com uma nova forma de pensar, trabalhar e ver o mundo, é preciso que o escritório acompanhe o ritmo.

E nada como a chegada de um ano para abraçar mudanças! Aproveite o tempo de renovação para encontrar soluções que transformem o dia a dia do seu escritório.

E, para criar um ambiente propício para receber uma nova geração de colaboradores em sua empresa, precisamos primeiro conhecê-los melhor.

 

Criando espaços abertos

Sabemos que os colaboradores mais jovens tendem a ser mais comunicativos e buscam colaborar de uma forma geral, ao invés de ficarem presos a uma única função.

Muitos, inclusive, não conseguem se imaginar presos à uma mesa durante todo o tempo de trabalho. A vontade de ser mais ativo é o que move essa nova geração.

Criar espaços mais abertos (fuja dos cubículos!) que sejam convidativos a troca de ideias e também às visitas em ilhas de trabalho próximas é uma ótima forma de começar.

Apesar de termos sugerido escapar dos cubículos, não significa que você não possa trabalhar com divisórias, para manter algum nível de privacidade ou organização.

Mas significa que as paredes devem ser mais baixas, de modo que o colaborador consiga unir o melhor dos dois mundos, sem se sentir confinado e estando apto a trocar ideias.

 

E alguns espaços mais afastados também

O lado negativo de um espaço muito aberto é que nem sempre conseguimos ter controle da dinâmica que será desenvolvida ali: terá muito barulho ou um grande silêncio?

A tendência é experimentarmos diferentes tipos de humor ou temperatura ao longo do dia, mas é crucial que você construa espaços que fujam um pouco dessa atmosfera.

Apenas por garantia, é bom ter a opção (e veremos isso mais a frente novamente) de espaços mais quietos ou com mais privacidade.

O motivo é simples: nunca sabemos quando um colaborador precisará de mais silêncio, seja para se concentrar mais em uma tarefa ou para realizar uma call.

Claro, você pode ter uma sala de reunião para esses momentos, mas ter apenas uma pessoa ocupando-a não é o cenário ideal. Sem dizer que não queremos isolar ninguém.

Ao invés disso, uma ideia é fazer um pequeno lounge. Algumas poltronas em torno de uma mesa de centro entregará um resultado bom o suficiente.

Você terá apenas que estudar qual o melhor lugar para inserir esse pequeno lounge. Perto das salas de reunião? Perto da cozinha? Próximo da porta de entrada?

Como cada sala é um universo e como cada disposição dependerá diretamente do tipo de trabalho e o estilo/objetivo de uma empresa, cabe ao arquiteto encontrar o melhor spot.

Mas a ideia é basicamente essa: entregar a opção de estar um pouco mais afastado, mas não tão longe dos demais membros da equipe.

 

Conforto para trabalhar também é importante

Uma outra marca dos Millennials, aliás, é justamente essa: ter a sensação de conforto e de bem-estar, como se estivessem em casa (dentro dos limites do bom senso, claro!).

Vamos falar sobre a questão dos móveis mais para frente, porém podemos citar logo que estruturar um ambiente confortável e pensado em sua saúde é fundamental.

Cadeiras que não oferecem muitos recursos, sofás desconfortáveis, mesas desreguladas e móveis, no geral, com aspecto de antigo não são boas ideias para escritório algum.

Para os Millennials (e para qualquer outra geração, na verdade) é inimaginável trabalhar em um local onde as cadeiras fazem barulho ou são prejudiciais para a coluna e pescoço.

Fora a questão dos móveis, existem outras maneiras de tornar um ambiente mais confortável, como: trabalhando a iluminação, as cores e a decoração.

Além disso, você pode desenvolver espaços mais interativos em seu escritório, como a inserção de algum jogo, de uma cadeira de balanço, de uma horta ou uma biblioteca.

Outra peça muito boa para dar a sensação de estar em casa são tapetes! Se combinar com um violão, além de ter show garantido no happy hour, ainda vai ser a atração do espaço.

 

Trabalho e Saúde: como promover os exercícios no espaço de trabalho?

Estamos vivendo uma era em que os colaboradores tendem a dar maior valor ao bem-estar e a sensação de cuidado e balanço de vida do que a salário ou benefícios monetários.

Nesse sentido, é impossível não chegarmos aos exercícios físicos. Afinal, também estamos lidando com uma realidade que não sai de frente de uma tela e passa muito tempo sentada.

 

Academia e atividades físicas para os colaboradores

É necessário colocar o corpo para se mover. Assim, além de colocá-lo para funcionar de maneira completa, ainda conseguimos evitar faltas por doenças e dores.

A melhor parte é que não é preciso construir uma academia propriamente dita dentro do escritório e enchê-las de equipamentos de musculação e aeróbico.

Mas é válido pensar, junto a nossas dicas, em benefícios voltados para a saúde (como o GymPass) ou em alugar/comprar uma sala próximo a alguma academia.

Além disso, fechar parcerias com profissionais, academias ou centros esportivos para os funcionários da sua empresa é uma excelente ideia para motivá-los a se exercitar.

 

Atividades em grupo

Outra possibilidade bastante atraente para vários líderes é criar dinâmicas e atividades em grupo, envolvendo toda empresa com o foco em um objetivo.

Uma delas é a perda de peso coletiva, onde a equipe é dividida em grupos e, dentro de um tempo determinado, a equipe que perder mais peso ganha um prêmio.

Outra ideia é estimular a participação de corridas de rua. A empresa pode pagar total ou parcialmente pela inscrição dos interessados em participar.

A competição pode ser um grande estímulo para muitas pessoas, mas é importante que as atividades sigam o bom senso e preze por atividades saudáveis para o corpo e mente!

Isto é, ter a orientação de um profissional para atividades que envolvam a perda de peso em grupo é fundamental para evitar exageros ou perda de peso de forma maléfica. 

 

Meditação, alongamento e Yoga

Desenvolver atividades físicas para o corpo é uma maneira excelente de colaborar para a saúde dos seus funcionários, porém não é o bastante.

O Brasil é o país mais ansioso do mundo, segundo dados da OMS. A ansiedade é um dos grandes males do séculos, que pode gerar centenas de problemas a uma pessoa.

Um ambiente de trabalho que se preocupa com o colaborador promove incentivos que cuidem do mesmo como um todo: desenvolvimento profissional e cuidados com o corpo e mente.

Não é exagero, nem cuidado em excesso, mas uma empresa que abraça essa verdade, além de reter talentos e ser querida por outros tantos, evita faltas e garante produtividade!

Além de incentivar o acompanhamento psicológico, algumas atividades como a meditação, o alongamento e a Yoga são cartas valiosas para cobrir esse aspecto.

E a grande vantagem dessas atividades é que elas podem ser feitas dentro do espaço de trabalho que seja grande o suficiente para abrigar todos os funcionários ou parte deles.

A empresa pode contratar um profissional que dê aulas in company, dividindo a equipe em blocos de horários e definindo os dias em que ele estará presente na empresa.

 

 

Respeitando limites e pessoas: criando um ambiente bom para todos

O seu corpo de colaboradores não está representado em uma planilha do Excel, tampouco pode ser visto como um custo total no final de uma folha de pagamento.

Cada linha dessa planilha é uma pessoa, que possui a própria individualidade, uma história e uma capacidade.

Ao escolhê-la dentro de inúmeras opções para trabalhar em sua empresa, sabemos que algo nela foi identificado como promissor para sua área de atuação.

Assim, é de suma importância que o líder entenda que aquela e as demais pessoas são como algo extremamente valioso para seu empreendimento.

Como tal, é preciso compreender a dinâmica de cada um, de forma individual e, também, como funcionam em grupo, encontrando a melhor forma de uni-los.

De forma mais precisa, precisamos entender como os introvertidos e os extrovertidos funcionam e tirar o melhor de cada um dos universos: sozinhos e em grupo.

 

Introvertidos e Extrovertidos em um escritório

De forma superficial, os extrovertidos são aqueles vistos como grandes comunicadores, tendem a ser mais expressivos e a falar mais do que ouvir.

Também de forma superficial, os introvertidos são exatamente o oposto. Sentem-se retraídos em frente a uma plateia e absorvem mais do que comunicam.

Quando os dois estão presentes em um escritório, é importante criar ambientes em que ambos se sintam confortáveis com sua individualidade.

Como falamos em um dos tópicos iniciais, é preciso criar espaços mais tranquilos ou mais reservados para uma necessidade ou para abrigar um colaborador mais introvertido.

Extrovertidos por outro lado, se sentem energizados quando estão em grupo ou em conversas que ocorrem em níveis mais frenéticos.

Os dois perfis de colaboradores podem surgir com ideias incríveis, mas com cada um trabalhando a sua maneira.

Assim, como seria um ambiente de trabalho pensado e suficientemente bom para duas personalidades tão distintas?

 

Escritórios para extrovertidos

  • Disponibilize estações de reuniões que estejam no centro: da sala ou do imóvel como um todo. Os extrovertidos geralmente gostam de espaços em evidência;
  • Procure não desenvolver espaços que sejam formais ou sérios demais. O extrovertido tende a se sentir mais à vontade em locais descolados, com sofás, puffs, almofadas;
  • Tente investir na acústica da sala de reuniões ou dos espaços destinados ao encontro dos extrovertidos. Assim, ruídos indesejados e barulhos incômodos não interferem e não distraem outros colaboradores (incluindo os introvertidos);
  • Encorajar pequenas reuniões em locais pouco convencionais, como perto da máquina de café, de água ou snacks, pode ser excelente para pessoas extrovertidas. Para isso, invista em puffs ou cadeiras altas para criar um ambiente despojado.

 

Escritórios para introvertidos

  • Separar pequenas salas ou refúgios mais quietos dentro do escritório são alternativas incríveis para os introvertidos trabalharem em silêncio;
  • Permita o home-office ou o trabalho remoto – seja de um café ou em outro ambiente do prédio;
  • O espaço em torno da máquina de café que falamos acima também funciona para os introvertidos, que, longe da agitação das ilhas de trabalho, conseguem trocar ideias e conversar de maneira mais intimista e calma;
  • Pequenas estações de trabalho (pequenas mesmo: uma mesa de centro e uma poltrona) espalhadas pelo escritório podem se tornar o local favorito do seu colaborador introvertido;
  • Para permitir tal deslocamento, tente investir em laptops para que eles trabalhem, ao invés de um desktop de difícil locomoção.

 

 

Não deixe o escritório te machucar: escolhendo os melhores móveis

 

O maior erro que se pode cometer é escolher um móvel a partir da sua aparência. Claro, o design conta muito, as cores também, mas é preciso um olhar mais aprofundado.

Ao projetar um espaço corporativo, antes de olhar qualquer catálogo, é importante definir como as pessoas irão usar aqueles móveis.

  • Quantas horas por dia elas passarão sentadas?;
  • Qual é o tipo de trabalho desenvolvido na empresa?;
  • O teclado e mouse são usados na mesma intensidade?;
  • O trabalho permite algum nível de dinamismo?

Se as pessoas passarão 8 horas por dia durante 5 dias sentadas, eu, enquanto comprador para uma empresa, líder ou arquiteto, não posso permitir que tal cadeira seja feita de um material de baixa qualidade.

Afinal, uma pessoa que passa, pelo menos, 160 horas sentada naquela cadeira, não pode produzir bem seu trabalho enquanto está sentada em um móvel desconfortável, que impacta na circulação sanguínea ou que gera dor na coluna.

É impensável, também, disponibilizar mesas com lascas que se soltarão em pouco tempo de uso ou que foram fabricadas fora do nível ideal.

É necessário pensar no uso para, então, definir quais são os melhores móveis, cadeiras, armários e acessórios que irão compor aquele ambiente de maneira satisfatória.

Programadores, por exemplo, passam longas horas analisando e modificando códigos e caminhos para entregar um trabalho.

Neste caso, além de cadeiras confortáveis, que abrace ao sentar, e que permita esticar o corpo, além de ajustar para o tamanho do profissional, é mais do que ideal.

Outro acessório capaz de tornar o trabalho mais confortável e ajudar na postura, evitando dores do pescoço, é um suporte para laptop – para deixá-lo no nível dos olhos.

Mesas que permitam ficar de pé ou sentado, como é o caso das mesas bistrô, são ótimas para oferecer mais uma opção de trabalho, além de promover a quebra de ociosidade do corpo.

Os sofás também podem ser vistos como ponto de apoio e alívio muscular para seus colaboradores, além de dar um charme todo especial ao escritório. 

Escolher um sofá para seu ambiente segue a mesma regra da aparência versus qualidade. Sabe aquela velha máxima em que diz que o barato pode sair caro?

Pois é! Às vezes, ao olhar um sofá, achamos que é o mesmo e acabamos optando pelo mais em conta. Claro, todo mundo gosta de economizar!

Porém, é necessário ver o custo como investimento. Não adianta pagar mais barato em algo que, daqui a seis meses, você estará em outra loja comprando um novo.

Ou, um cenário ainda pior, ninguém usando o sofá por achá-lo desconfortável demais. Aqueles que incomodam mais do que ajudam, sabe?

Tire as medidas do seu espaço e tenha seu budget sempre em mente, mas nunca esqueça de analisar todos os diferenciais de um produto antes de comprá-lo! 

 

 

Conclusão

 

Como vimos ao longo do e-book, inserir um escritório corporativo em 2020 não tem nada de ficção científica ou elementos de outro mundo.

Trata-se, basicamente, de colocar seus colaboradores no centro, e entender que seu escritório é o cartão de visitas da sua empresa.

Cabe aos líderes de empresa entenderem que a empresa se sustenta graças aos trabalho dos colaboradores e que, sem eles, não há como uma organização ir para frente.

Por isso é tão importante oferecer treinamentos, condições favoráveis de trabalho e, claro, um ambiente que promova bem-estar e seja pensado na produtividade.

Além disso, uma empresa bem estruturada, bonita, bem pensada e que veste a camisa daquilo que ela diz em forma de texto, é uma organização que ganha espaço na mídia.

A empresa torna-se querida no mercado de trabalho, aquela em que todo mundo quer trabalhar. Se isso não é uma forma de atrair os melhores talentos, não sabemos o que poderia ser.

O grande diferencial de uma transformação corporativa é que a forma física (móveis, pinturas, uma sala maior) influencia na forma emocional e vice-versa.

A capacidade de unir os dois universos e entregar um ambiente favorável ao colaborador e, em consequência, à empresa é a forma mais rápida de atingir o sucesso e um novo padrão.

Mesmo que a empresa nem sempre consiga enxergar em números e em gráficos tais afirmativas, é certo que os resultados virão!

 

Sobre a Mirage Móveis

A Mirage é uma loja voltada para a venda e a manutenção de escritórios corporativos no Rio de Janeiro. Atuando no mercado desde a década de 60, a Mirage Móveis é referência na área. Visite nossas lojas física e virtual e descubra um mundo de possibilidades!